Rede Emaranhadas lança Guia de Bem Viver após um ano de atividades

SÃO LUÍS – Acontece neste sábado, 18 de março, o lançamento do livro Guia de Práticas de Bem Viver: memória e sabedoria de mulheres da Amazônia maranhense, no Casarão Reocupa, em São do Luís do MA. Uma iniciativa da Rede Emaranhadas, com apoio do Instituto Clima e Sociedade.

Criado em 2021, o projeto Emaranhadas, teve como objetivo, em seu primeiro ano, mapear e reunir as experiências de bem viver de mulheres da região metropolitana de São Luís (MA), em encontros onde pudessem interagir e intercambiar vivências e saberes.

Assim, foram pautados o direito por terra e território, as estratégias de manutenção do bem viver, com autocuidado e cuidado coletivo, tecnologias e receitas ancestrais de alimentos e remédios naturais para cura dos males diversos que podem nos acometem, bem como os processos auto-organizativos construídos por estas mulheres em suas comunidades.

Desta jornada, tivemos dois produtos principais: o site onde estão registradas todas as atividades desse primeiro ano de Emaranhadas: www.emaranhadas.org.br; e o livro, que será disponibilizado de forma física e virtual, o Guia de Práticas para o Bem Viver: memória e sabedoria das mulheres da Amazônia maranhense.

A publicação é independente e, como o título sugere, traz dicas de 13 mulheres, co-autoras, alcançadas pelo projeto, com projeto gráfico, organização e metodologia do Coletivo Etinerâncias.

Embora seja um guia com receitas, são chamadas de práticas de bem viver, pois revelam saberes populares em, por exemplo, como buscar na natureza um remédio para determinada enfermidade, ou como aproveitar melhor alimentos ou ainda reinventá-los como mecanismo para escapar da insegurança alimentar. Tratam-se de receitas afetivas que elas aprenderam com seus familiares em momentos diferentes da vida e que as conectam com seu passado, presente e futuro.

Além disso, o exercício de colocar no papel tais receitas também realça a memória da luta diária por justiça ambiental e direito à natureza, colocando-se contra o afastamento estrutural, a marginalização e o empobrecimento relacionado ao conhecimento ancestral.

O Guia tem a pretensão, portanto, de salvaguardar a memória destas mulheres e perpetuar esses saberes para que as próximas gerações possam consultá-las e se inspirar para criar novas receitas de cuidado, e Bem Viver, respeitando a natureza e mantendo os saberes ancestrais vivos.

 

Sobre o evento

O evento acontece no Casarão Reocupa, a partir das 14h30, na Rua da Estrela, 400A, Centro – São Luís/MA. Com apoio do Coletivo Reocupa e do restaurante Cozinha Ancestral, o lançamento conta com apresentação do grupo de caixeiras do divino da comunidade Santa Rosa dos Pretos e performance Corporeira da artista Ana Regina Arcanjo.

Na ocasião, alguns exemplares serão vendidos a preços simbólicos para manutenção da Rede Emaranhadas.

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista.
Bacharel em Comunicação Social- Jornalismo com pós-graduação em Jornalismo Cultural na UFMA.

Criadora de conteúdo, roteirista, DJ, colecionadora de discos, produtora artística e fonográfica. Ludovicense, filha de rosarienses. Morou na Cohab, Fé em Deus, Liberdade em São Luís, passou três anos em Codó, e voltou para a capital residindo na Rua Basson (Apeadouro – Bairro de Fátima) e Cohatrac IV. Foi aluna do Colégio Batista.

Gosta de cozinhar. Sempre foi (e pretende continuar sendo) apreciadora da culinária a base de frutos do mar, dos modos e costumes nordestinos; brincante da Cultura Popular e uma assídua frequentadora das mais diversas regiões da Ilha de São Luís e do Maranhão. É autora dos projetos de difusão musical “Vinil & Poesia” e “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos