Lançamento do CD Resistência e Tradicão – A força do Tambor de Crioula do Maranhão

Após 36 anos de história, o grupo de Tambor de Crioula Brinquedo de São Benedito,
entrou em estúdio para realizar o sonho de gravar o primeiro cd. O resultado é o disco
Resistência e Tradição, com lançamento mundial neste domingo, 08, pela distribuidora
francesa Believe, em parceria com o selo Zabumba Records, e estará disponível em mais
de 250 lojas digitais.


Gravado e mixado no estúdio Zabumba Records, em São Luís, o disco traz dez faixas,
com toadas compostas por Alcelino Amorim e Luís Augusto Almeida, o Lulu. A concepção
e direção geral é de Adriano Andrade, um dos coordenadores do Tambor. “Esse é um
sonho antigo. Um sonho de registrar em áudio, toda a ancestralidade e tradição do nosso
povo. Além de fortalecer o movimento de resistência e proteção dessa forma de expressão
de matriz africana, tão rica e que tanto nos orgulha”. Diz Adriano.
HISTÓRICO
Criado, em 1970, na cidade de Cajapió/ Ma, como promessa de Raimundo Fonseca,
e passado para as mãos de sua filha, Maria da Conceição Fonseca, na década de 1980, o
Tambor de Crioula Brinquedo de São Benedito tem sede atualmente, em São Luís, no
bairro Bom Jesus. Coordenado, por Adriano Andrade e pelo cantador Alcelino Amorim,
desde 2020, a brincadeira mantém o legado deixado pela família Fonseca e a tradição dos
tambozeiros da Baixada Maranhense.
Em 2020, o grupo foi selecionado em diversos editais culturais, como o Pátio Aberto,
Conexão Cultural, Prêmio Funarte RespirArte; Fomento de Culturas – Lei Aldir Blanc, com
o Projeto Encontro de Grupos de Tambor de Crioula das Comunidades Quilombolas de
Bequimão, realizado pela Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão. O grupo
concorreu nacionalmente e foi selecionado pelo Ministério do Turismo e Vale S.A, com o projeto Encontro de Grupos de Tambor de Crioula das Comunidades Quilombolas do
Maranhão em 2021; entre outros.


Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira (Iphan, 2007), o Tambor de Crioula é uma
forma de expressão de matriz afro-brasileira que envolve dança circular, canto e percussão
de tambores, tocados, boa parte das vezes por homens, os coureiros, que entoam toadas,
respondidas pelo coro. As mulheres, as coureiras, realizam a punga ou umbigada, quando
os ventres de duas delas se encontram, em saudação.

SERVIÇO
LANÇAMENTO CD RESISTÊNCIA E TRADIÇÃO
TAMBOR DE CRIOULA BRINQUEDO DE SÃO BENEDITO
ONDE: Todas as plataformas digitais
QUANDO: 08 de Julho DE 2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos