I Seminário para a salvaguarda da Literatura de Cordel e do Repente no Maranhão é promovido pelo IPHAN

Cordelistas, repentistas e demais interessados na temática estão convidados a participar do I Seminário para a salvaguarda da Literatura de Cordel e do Repente no Maranhão. O evento será realizado nos dias 10 e 11 de dezembro, por meio de videoconferência.

Para participar, os interessados podem fazer inscrição por meio de formulário digital, até o dia 10 de dezembro. O link para acesso à reunião online será enviado para os inscritos em data próxima ao evento.

O seminário é promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura (Secult) e ao Ministério do Turismo (MTur). O evento busca compreender as atuais demandas dos detentores acerca da proteção e difusão do Cordel e do Repente no estado do Maranhão. O objetivo é pensar e elaborar em conjunto o Plano de Salvaguarda desses bens culturais.

Os debates envolvem temáticas como a Política Nacional do Patrimônio Imaterial, assim como os eixos de ação da gestão de bens culturais registrados. A mesa de abertura, agendada para o dia 10 de dezembro, às 9h, apresenta um panorama do Cordel no Maranhão e traz discussões sobre o bem cultural em regiões como Mearim e Vale do Pindaré. Também aborda sobre o Repente e a busca pelo reconhecimento, além de questões de gênero e raça.

“O Maranhão possui um grande número de poetas cordelistas e repentistas. O seminário é mais uma etapa do trabalho de mobilização dos detentores para a promoção e valorização desses bens culturais que fazem parte da identidade do nosso estado”, explica o antropólogo do Iphan-MA, Rafael Gaspar, um dos organizadores do evento.

Cordel e Repente

A Literatura de Cordel está registrada como Patrimônio Cultural do Brasil desde 2018. Já o Repente recebeu o título recentemente, em novembro de 2021, durante a 98ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural.

Os dois bens culturais têm origem na região Nordeste, na segunda metade do século XIX. O Cordel é um gênero literário que conjuga oralidade, poesia e prosa. No Repente, esses elementos se associam também ao improviso e à cantoria. Ambos se popularizaram como parte da identidade e cultura brasileira.

A poesia e musicalidade do Cordel e do Repente são amplamente difundidas no Maranhão, especialmente na região dos Cocais, em municípios como Codó, Caxias e Timon.

Serviço:

I Seminário para a salvaguarda da Literatura de Cordel e do Repente no Maranhão
Data: 10 e 11 de dezembro, a partir das 9h.
Via Jitsi Meet
Inscrições até 10 de dezembro via formulário digital
Programação

2 Responses

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos