Código Ternário apresenta ‘Partindo do Choro’ em São Paulo

Neste mês de julho, o  Código Ternário apresenta em São Paulo seu novo projeto, Partindo do Choro. Com 12 anos de história, o grupo formado por Carrapicho Rangel, César Roversi e Gustavo Bali, chama a atenção por uma formação peculiar: bandolim de dez cordas, sax soprano e pandeiro. De maneira irreverente, energética e poética, neste novo show o Código Ternário brinca com o imaginário musical nacional, se conectando ao jazz, o instrumental brasileiro e revelando influências das turnês que o grupo realizou por países como Marrocos, França, Colômbia e Chile. 

SÃO PAULO – A série de shows gratuitos começa na próxima quarta-feira (12/07) em Santana (Teatro Alfredo Mesquita) e continua com apresentações na Lapa (19/07 no Teatro Cacilda Becker), Alto da Mooca (03/08 no Teatro Arthur Azevedo) e Santo Amaro (10/08 no Teatro Paulo Eiró). O projeto Partindo do Choro também inclui dois workshops de choro destinados aos jovens e adolescentes atendidos pelo Projeto Guri.

No repertório dos shows, composições autorais como “Novo Caminho”, “45 do Segundo Tempo”, “Quarteto Ternário” e “Tá Confirmado”, que fazem parte do álbum “Quarteto Ternário”; e “Intensidade”  e “Rumo à Curitiba”, do primeiro disco do grupo, “Intensidade”.

+ sobre o Código Ternário

Formado por Carrapicho Rangel, César Roversi e Gustavo Bali, o grupo iniciou sua trajetória motivado pela busca por novos sons. Com uma formação inusitada: bandolim de dez cordas, sax soprano e pandeiro, a ideia sempre foi fugir do trivial sem perder a mão, desafiando o lugar comum dos instrumentos, deslocando-os de sua função usual e explorando-os ora como solistas, ora como acompanhadores. Por isso, em seus projetos o Código Ternário contou com participações especiais de grandes músicos como Caíto Marcondes (percussão), Nicolas Krassik (violino), Arismar do Espírito Santo (multi-instrumentista), André Marques (piano), Raul Mascarenhas (saxofone) e Gabriel Grossi (gaita).

Em 2015, o grupo lançou em Paris seu primeiro disco, “Intensidade”. O segundo álbum, “Quarteto Ternário”, foi lançado em 2017, na Colômbia, país onde também realizaram workshops e oficinas musicais. O grupo já fez inúmeras apresentações, entre as quais se destacam: Programa Instrumental Sesc Brasil (Sesc Consolação); Festival de Choro do Sesc Ipiranga; Mostra Sesc Cariri; Universitè de Saint-Denis e Club Du Choro de Paris/FR; Universidad de Antioquia e Fiesta del Libro y de la Cultura Medellín/Colombia; entre outras.

Vale destacar que os três músicos desenvolvem trabalhos paralelos, como pesquisadores, professores e instrumentistas, colaborando com artistas brasileiros e internacionais. Carrapicho Rangel mantém há 20 anos a Escola Livre de Música (ELM), em Araraquara (SP) e seu álbum em dueto de bandolim e voz com a cantora carioca Ana Costa, “Do Começo Ao Infinito” (2017), lhe rendeu destaque nacional. O saxofonista César Roversi é ganhador do Latin Grammy 2018 com a Hermeto Pascoal Big Band na categoria de Melhor Álbum de Latin Jazz, com o CD “Natureza Universal”. Gustavo Bali idealizou o I Encontro Internacional de Pandeiro Grave, realizado no Rio de Janeiro, em parceria com Marcos Suzano (RJ), Túlio Araújo (MG), Bernardo Águiar (RJ) e Nacho Delgado (Uruguai), além de manter parcerias com Benjamin Taubkin, Chico Saraiva, Omar Fontes e Damião.

serviço

12/07 (quarta-feira), às 21h – Teatro Alfredo Mesquita – Av. Santos Dumont, 1770 – Santana.

19/07 (quarta-feira), às 21h – Teatro Cacilda Becker – R. Tito, 295 – Lapa.

03/08 (quinta-feira), às 21h – Teatro Arthur Azevedo – Av. Paes de Barros, 955 – Alto da Mooca.

10/08 (quinta-feira), às 21h – Teatro Paulo Eiró –  Av. Adolfo Pinheiro, 765 – Santo Amaro.

Entrada gratuita, por ordem de chegada. Teatro sujeito à lotação.

Abertura para entrada: 20h30.

acompanhe o Código Ternário nas redes sociais

Facebook.com/codigoternario

Instagram.com/codigoternario

Youtube.com/@codigoternario 

 

 

 

 

 

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos