10 pedras de março – O babalorixá maranhense Pai Euclides Talabyan é destaque em Websérie pelo Rumos Itaú Cultural

Produzida a partir de material audiovisual extraído do Acervo Maracá, a websérie estreou em janeiro deste ano destacando, a cada semana, o fazer de mestres e mestras das tradições populares, enquanto realizam ritos e festejos, e a sua relação com as comunidades. O acervo foi reunido pela musicista Renata Amaral ao longo de 30 anos. O projeto da websérie foi contemplado pelo Rumos Itaú Cultural.

Tata Mona Guiamazy e Pai Euclides Talabyan, falecido em 2015, conduzem as narrativas dos episódios de março – compostos de material extraído do Acervo Maracá – da websérie 10 Pedras, em projeto selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2019-2020. Foi ao ar ontem, 07,  Nganga – Tata Mona Guiamazy, no qual o sacerdote relembra a própria trajetória. Pai Euclides Talabyan é o condutor dos episódios Caboclos, no dia 14, Arte, no dia 21, e Ancestralidade, em 28 de março. Os novos vídeos estreiam às terças-feiras, sempre às 19h, em  https://www.youtube.com/@AcervoMaraca. Nas mesmas datas, o acervo também disponibiliza álbuns e filmes como produtos associados aos episódios da websérie.

Sobre Tata Mona Guiamazy, Renata destaca que ele é guiado por uma imperiosa vocação espiritual desde os seis anos de idade. De acordo com ela, é um dos mais respeitados guardadores de Tata Nkisi do estado, que significa sacerdote ou zelador das divindades, no Candomblé Angola. “Grande artista, como seu avô Joãozinho da Goméia, e grande conhecedor de sua nação, o Lunzo Redandá, seu quilombo, sua pequena Angola, de onde saíram mais de 600 iniciados espalhados por todo Brasil e exterior”, completa. 

A direção de Nganga é feita pela própria Renata, que está à frente, ainda, dos episódios dos dias 14 e 21 de março. Já o curta-metragem Ancestralidade, que vai ao ar no dia 28 de março, tem direção de Diana Gandra. Os três vídeos são conduzidos pelos depoimentos de Pai Euclides, babalorixá reconhecido internacionalmente e condecorado pelo Ministério da Cultura em 2001 com a Ordem do Mérito Cultural. O sacerdote também é autor de nove livros sobre cultura afro-brasileira e iniciador de dezenas de pais de santo espalhados por todo o Brasil.

 

“Pai Euclides Talabyan era um sacerdote de memória única e impressionante talento artístico”, define Renata, que desde 1999 vivencia e registra manifestações na Casa Fanti-Ashanti. O terreiro, fundado por ele, é um dos mais importantes do Maranhão. “Durante o ano, são realizados com capricho e rigor uma série de manifestações sagradas e profanas como os toques de Tambor de Mina, Cura/Pajelança, Baião de Princesas e Tambor de Crioula, entre outras”, conta ela. 

 

Renata faz um balanço sobre a websérie: “revisitar esse acervo é sempre surpreendente nas muitas memórias que guarda, figuras e conhecimentos preciosos que já se foram e alimentam suas comunidades em seu movimento de recriação e resistência, além de revelar esses grandes mestres e artistas a um público muito diverso.”

 

Sobre a autora

Renata Amaral é formada em composição e regência, mestre e doutoranda em performance musical pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), se apresentado em todo o Brasil e Europa ao lado de artistas e grupos como A Barca, Ponto br, Tião Carvalho, Sebastião Biano e Orquestra Popular do Recife. Pesquisadora e contrabaixista, reúne desde 1991 o Acervo Maracá, produzido mais de 30 CDs e 12 documentários. Realizou residências artísticas no Maranhão e no Benin. 

 

É diretora do filme Pedra da Memória. Ao lado dos grupos A Barca, Ponto br e o Terno de Mestre Biano gravou sete CDs e realizou mais de 500 apresentações em escolas e universidades com projetos de circulação, registro e arte-educação com foco na cultura tradicional.

 

Sobre o Rumos Itaú Cultural

Um dos maiores editais privados de financiamento de projetos culturais do país, o Programa Rumos, é realizado pelo Itaú Cultural desde 1997, fomentando a produção artística e cultural brasileira. A iniciativa recebeu mais de 75,8 mil inscrições desde a sua primeira edição, vindos de todos os estados do país e do exterior. Destes, foram contempladas 1,5 mil propostas nas cinco regiões brasileiras, que receberam o apoio do instituto para o desenvolvimento dos projetos selecionados nas mais diversas áreas de expressão ou de pesquisa.

 

Os trabalhos resultantes da seleção de todas as edições foram vistos por mais de 7 milhões de pessoas em todo o país. Além disso, mais de mil emissoras de rádio e televisão parceiras divulgaram os trabalhos selecionados.

 

Na última edição, de 2019-2020, os 11.246 projetos inscritos foram examinados, em uma primeira fase seletiva, por uma comissão composta por 40 avaliadores contratados pelo instituto entre as mais diversas áreas de atuação e regiões do país. Em seguida, passaram por um profundo processo de avaliação e análise por uma Comissão de Seleção multidisciplinar, formada por 23 profissionais que se inter-relacionam com a cultura brasileira, incluindo gestores da própria instituição. Foram selecionados 90 projetos.

 

SERVIÇO:

Rumos Itaú Cultural 2019-2020

Acervo Maracá – 10 Pedras

De Renata Amaral

Episódio 7: Nganga – Tata Mona Guiamazy

Direção: Renata Amaral

Dia 7 de março

Episódio 8: Caboclos 

Direção: Renata Amaral 

Dia 14 de março

Episódio 9: Arte

Direção: Renata Amaral 

Dia 21 de março

Episódio 10: Ancestralidade

Direção: Diana Gandra

Dia 28 de março

Em https://www.youtube.com/@AcervoMaraca

 

 

(Da redação, com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos