Site do Itaú Cultural celebra os 80 anos de Aguinaldo Silva, em conversa exclusiva com o dramaturgo sobre sua trajetória e olhares para o futuro

(Foto: Reprodução)

Em entrevista inédita, o autor de telenovelas como Tieta (1989), Senhora do Destino (2004) e Império (2014) relembra a infância na cidade pernambucana de Carpina, o início profissional no Rio de Janeiro, como jornalista e escritor, e a inspiração na vida real para a criação de personagens como Griselda, de Fina Estampa (2011). Adianta, ainda, que podem vir novidades suas na tevê e que está registrando em livro momentos das histórias vividas ao longo dessas oito décadas.

 

Para comemorar os 80 anos do escritor e dramaturgo Aguinaldo Silva, o site do Itaú Cultural www.itaucultural.org.br publica matéria com entrevista exclusiva do autor, responsável por alguns dos maiores sucessos entre as telenovelas brasileiras. Nascido em 7 de julho de 1943, no interior de Pernambuco, ele conversou com a jornalista Juliana Ribeiro, da equipe do portal do IC, sobre momentos importantes dessa trajetória, a qual começou a ser fomentada por um pai pobre que sempre investiu em boas escolas para o filho. Assim, o menino tomou gosto pela escrita, publicou seu primeiro livro aos 16 anos, e virou jornalista, até chegar ao reconhecimento nacional por meio de sua dramaturgia.

Dividida em oito momentos, a matéria começa com o recorte Infância em Carpina, juventude em Recife, onde Aguinaldo Silva relembra da condição financeira restrita do pai, que trabalhava em um posto de gasolina, mas investiu em sua educação, colocando-o em escolas caras e chegou a mudar de cidade para garantir que o garoto continuasse com os estudos. “Ele queria que eu fosse advogado, mas minha mãe queria que eu fosse padre – duas profissões incompatíveis comigo”, relembra ele.

No momento Do brincar de escrever ao sucesso do primeiro livro, a matéria descreve como o escritor passou de interessado por leitura escrita a profissional. Conta de sua experiência com a biblioteca de uma vizinha e do contato com o jornalista Nilton Faria que, ao ler os originais de seu livro Redenção para Job, o incentivou a enviá-lo para uma editora. O resultado foi receber uma carta do escritor Fernando Sabino, um dos fundadores da Editora do Autor, confirmando a publicação.

O início da trajetória profissional é descrito no tópico da matéria Vida de jornalista. Nela, o escritor traça uma espécie de linha do tempo, com início em 1962, ainda em Recife, no jornal Última Hora do Nordeste, passando pelas perseguições da ditadura militar em 1964, que o acabaram levando ao Rio de Janeiro. Na nova cidade, trabalhou no periódico Última Hora carioca, no Jornal do Brasil e em O Globo, onde ficou até ser preso e sumir.

No recorte Preso na Ilha das Flores, Aguinaldo Silva lembra os três meses que passou desaparecido entre 1967 e 1968, ao ser detido pelo Centro de Informações da Marinha (Cenimar), devido o prefácio que escreveu em uma das edições brasileiras do diário de Che Guevara. Anos depois, ele conta, a situação virou uma cena da novela Senhora do Destino, quando a personagem Maria do Carmo chega ao Rio de Janeiro no dia em que é decretado o AI-5, e é presa. “Tudo isso aconteceu comigo”, lembra.

Em Do jornal para as novelas, a matéria destaca a ida do autor para a Rede Globo de Televisão. Entre as histórias de bastidores contadas por ele na entrevista, está o convite para assumir a novela Roque Santeiro, no lugar de Dias Gomes, que estava em viagem pela Europa e deixou cerca de 40 capítulos escritos. “Quando li pensei: ‘mas que bobagem!’ confesso que não acreditei naquilo, mas fiz o que tinha que fazer, era profissional e comecei a escrever, a escrever e a escrever. Por fim, Roque Santeiro foi aquele escândalo”, relata. O sucesso trouxe louros, mas também uma briga com Dias, que voltou no final da novela e assumiu os capítulos finais.

O dramaturgo também conta, no intertítulo Sucesso atrás de Sucesso, histórias sobre suas novelas que marcaram época na televisão brasileira, como Tieta (1989), que chegou a 98 pontos de audiência, e Império (2014), que deu ao autor o Emmy Internacional de Melhor Novela em 2015. No recorte Passado sempre presente, ele revela que Senhora do Destino é a novela preferida de sua autoria: “Gosto muito porque, embora não seja a história da minha família, tem muito a ver com ela, com seus valores”.

Aos recém-completados 80 anos, ele fecha a entrevista falando sobre o sentimento de gratificação ao receber o reconhecimento do público, mas também reflete sobre a exaustão do trabalho como autor de novelas, lembrando que percebeu os pés inchados após vários dias que passou sentado para escrever capítulos de O sétimo guardião (2018).  Ele também faz planos para o futuro: está dedicado a escrever um livro de memórias, enquanto aguarda a confirmação de um novo projeto para tevê. Cenas dos próximos capítulos.

 

SERVIÇO

80 anos de Aguinaldo Silva

No site do Itaú Cultural www.itaucultural.org.br

 

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos