Paraíso à vista – Percurso de avião que liga São Luís a Barreirinhas é uma das vistas mais bonitas do país

(Foto: Adriana Brito)

Ir ou voltar de Barreirinhas em voo comercial pode ser um dos pontos altos de uma viagem pela região dos Lençóis Maranhenses. Isso porque o trecho entre a capital São Luís e o município possibilita uma visão panorâmica do Parque Nacional. Os voos são oferecidos pela Azul Conecta, companhia subsidiária da Azul, e ocorrem às quartas, sextas e domingos.

“Esse voo deveria entrar na lista dos top 10 voos para se fazer antes de morrer. É realmente uma experiência inesquecível. Apesar de fazer esse voo todos os meses, a sensação é a de ser o primeiro, pois nunca, de verdade, é o mesmo Parque”, avalia o consultor Léo Marques, que viaja para Barreirinhas com frequência devido ao trabalho.

Além da paisagem deslumbrante, outra vantagem é a redução do tempo de deslocamento. Pelo ar, a viagem dura uma hora ou menos. Por terra, leva quatro horas, em média, dependendo do tipo de transporte, que pode ser carro, van ou ônibus de linha.

“Para mim, é uma economia de tempo. Quando faço essa viagem através de voo, consigo ser mais produtivo, pois é bem rápido. Em 45 minutos chego em Barreirinhas. Se for de carro, levo pelo menos quatro horas”, revela o consultor.

De acordo com o empresário Saulo Prazeres, sócio-administrador do Vila Aty, hotel localizado no povoado Atins, em Barreirinhas, a maior rapidez no trajeto traz mais comodidade principalmente para quem se hospeda no vilarejo, já que, mesmo após desembarcar no aeroporto do município, ainda é necessário mais um deslocamento pelo rio ou por terra para chegar a Atins.

“Chegando em Barreirinhas, o viajante pode seguir para Atins de lancha, um trajeto que dura mais ou menos uma hora, ou em veículos 4×4, que leva de uma hora e meia a duas horas. Quem vai de avião a Barreirinhas e segue para Atins utilizando outros meios de transporte gasta menos tempo se locomovendo e pode chegar ao vilarejo mais descansado”, detalha Saulo.

Além da opção de lancha compartilhada, também é possível chegar ao povoado em lancha privativa, o que pode tornar o deslocamento em uma experiência mais proveitosa.

“O caminho é cercado pelas belezas naturais do rio Preguiças, dos mangues, dos pássaros, da praia do Caburé. E o nosso serviço de transfer em lancha privativa transforma o percurso em um passeio com paradas em Vassouras e oásis dos pescadores. Indicamos para quem quer mais conforto e otimização do tempo e do trajeto”, recomenda o sócio-administrador do Vila Aty.

Voos

Os voos regulares para Barreirinhas ocorrem às 15h, partindo do Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado, em São Luís. No sentido contrário, a saída acontece às 13h10, do Aeroporto Regional de Barreirinhas.

A Azul Conecta opera com aeronave modelo Cessna Gran Caravan, um turboélice regional monomotor com capacidade para até nove passageiros e dois tripulantes, sem toalete de bordo — o que pode não ser um inconveniente, já que o trajeto é curto.

A subsidiária é a única a oferecer rotas regulares no município. Futuramente, a previsão é que a companhia aérea Gol também passe a operar no local com um voo direto entre São Paulo e Barreirinhas, conforme anunciado pelo Governo do Maranhão em janeiro deste ano.

 

 

 

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos