Operadora Maxx apoia inclusão digital e empoderamento feminino

O CEO da operadora Maxx Augusto Diniz e a professora de História e Psicopedagoga Alê Azevedo; formada em informática básica de forma gratuita no projeto da Estação Tech.

Diante da necessidade de promover o desenvolvimento da educação digital e inclusiva, em São Luís, a operadora Maxx apoia o projeto das Estações Tech, desenvolvido pela  Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Governo Federal.

Em operação desde 2022, o projeto acontece em dez bairros periféricos de São Luís, onde foram instaladas salas equipadas com computadores e infraestruturas de laboratórios makers para resolver os problemas de cada comunidade; além da oferta de cursos e programas de inclusão tecnológica; com internet banda larga 100% fibra fornecida pela Maxx.

Esse projeto tem ajudado na formação digital de muitos maranhenses, em especial mulheres. A exemplo de Maria Alexandrina Azevedo Soares, a Profa. Alê Azevedo. Ela cursou informática básica gratuitamente na Estação Tech do bairro João de Deus; em três meses aprendeu a usar programas como Excel, Word e todo o pacote básico, se formando com louvor.

Alê tem 50 anos, é negra, mãe de três filhos e foi a primeira pessoa de sua família a conquistar uma formação superior. Os pais são analfabetos, moram no interior onde trabalhavam como quebradeira de coco e lavrador. Ela saiu do pequeno povoado em que nasceu, na cidade de Palmeirândia, para vir estudar na capital com apenas 6 anos de idade. E não parou nunca mais de buscar conhecimento. Mas mesmo formada, ela estava no ranking das mulheres “analfabetas digitais”. Agora já diplomada, sente-se empoderada e mais competitiva para o mercado de trabalho.

“Acreditamos muito nas Estações Tech e temos orgulho dessa parceria. Democratizar o acesso às conexões e promover a inclusão digital nessa sociedade em rede, é o propósito maior do negócio da Maxx. Somos uma empresa genuinamente maranhense e queremos dar uma forte parcela de contribuição para o desenvolvimento do Maranhão. E isso passa por termos mais pessoas digitalmente alfabetizadas e conectadas com internet e telefonia; para terem melhores oportunidades para estudar, empreender e crescer; a exemplo dessa vencedora que é Alê Azevedo”, declarou o CEO da operadora Maxx Augusto Diniz.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos