Motivos para brindar: dicas de espumantes nacionais para fazer bonito no ano novo

O relógio bate meia-noite. Um novo ano se inicia e, em todas as taças, o brinde é com o protagonista da festa: o vinho espumante. A bebida versátil pode acompanhar todos os tipos de refeição, da entrada à sobremesa, e é perfeita para combinar com temperaturas mais altas. Assim, terminou virando um queridinho das festas de final de ano no Brasil. Segundo a União Brasileira De Vitivinicultura (Uvibra), a previsão é de crescimento de cerca de 15% nas vendas de vinhos e espumantes em todo o país.

A sommelier e gerente do Spazio Mateus, Raquel Aciole, explica que os vinhos espumantes passam por uma segunda fermentação, responsável pela formação das bolhas. “Existem vários métodos diferentes para essa fermentação, mas todos eles terão como resultado a formação dessas bolhas de gás carbônico, que são tecnicamente conhecidas como perlage”, explica ela.

Embora tenha nascido na França, a tradição dos espumantes se espalhou rapidamente para outros países com tradição vinicultora – tanto é que, atualmente, a maioria já tem sua própria produção de espumantes. Para quem está com motivos de sobra para brindar neste réveillon, Aciole indica alguns espumantes nacionais, todos disponíveis no Spazio Mateus. Confira abaixo.

01 – Lídia Carraro Dádivas Espumante Moscatel
Frutado e com aromas de flores brancas, este espumante vai bem com doces. Experimente com bolos, doces, frutas em calda ou saladas de frutas.

02 – Espumante Chandon Excellence Rosé
O aroma deste espumante de excelência tem notas de morango, framboesa e canela. No paladar, é refrescante, cremoso e bem equilibrado. Dica: combine com risotos e carpaccio.

03 – Espumante Casa Perini Brut
Este espumante de coloração amarelo-palha é originário do sul do Brasil e possui aromas que lembram pêra e maçã-verde, além de espuma cremosa e persistente. À mesa, harmonize com saladas, queijos, peixes e carnes brancas.

04 – Espumante Salton Demi-Sec
Originário de uma das vinícolas mais tradicionais do Brasil, ele é brilhante, com tonalidade palha claro e reflexos esverdeados. O sabor é fresco e cremoso, com bastante suavidade. Na hora de harmonizar, tenha em mente que ele vai bem com queijos, frutos do mar, doces e sobremesas com creme.

 

 

(Com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos