Feira Agroecológica e Solidária celebra Dia da Amazônia em São Luís

A iniciativa promove a cadeia produtiva de pequenos produtores e proteção da biodiversidade da Amazônia maranhense; o evento é uma realização do Coletivo Emaranhadas, em parceria com a Associação Tijupá.

São Luís – Acontece nesta sexta-feira, dia 02 de setembro, a Feira Agroecológica e Solidária, edição Dia da Amazônia, uma realização do Emaranhadas, em parceria com a Associação Tijupá e apoio do Coletivo Reocupa e Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão – Agerp. A feira será realizada na Praça Deodoro, Centro de São Luís, das 8h às 14h.

 

A abertura da programação conta com fala dos organizadores do evento sobre a importância da preservação da biodiversidade da Amazônia e sobre os impactos da exploração do bioma para os povos que habitam o território. A Feira terá ainda apresentações culturais de grupos de capoeira, tambor de crioula e recital de cordel.

 

Cerca de 40 produtores, sendo a maioria da Grande Ilha de São Luís, além de zona rural e interior do estado – todos territórios amazônicos – participam do evento, com exposição de produtos da agricultura familiar e do artesanato da amazônia maranhense. São verduras, legumes, pimentas, farinha, azeites, polpas de frutas, doces, peixes, mel, plantas ornamentais e medicinais, artesanato em fibras diversas, acessórios, biojoias entres outros produtos com material orgânico.

 

“A feira, além de estimular a produção agroecológica dos pequenos produtores rurais de São Luís e interior do estado, busca também evidenciar a necessidade de discutir os problemas da Amazônia legal em território maranhense, incentivando a reflexão crítica sobre a preservação do meio ambiente, a preocupação com o futuro do bioma e proposição de leis e medidas em prol da floresta e os povos que a habitam, bem como estimular a cultura, os produtos e a potência do que a floresta amazônica nos dá, principalmente, as produções das mulheres da Amazônia maranhense”, pontuou Polyana Amorim, Coordenadora geral da Feira.

 

Festival – Esta edição da Feira Agroecológica E Solidária é um evento de aquecimento para a segunda edição do Resistência Fest, que acontece no domingo (04/10) – um evento cultural com 15 horas de programação e mais de 13 atrações nacionais e locais confirmadas, que inclui shows, recreações infantis, oficinas e atividades esportivas, das 9h às 24h, no Parque do Rangedor, que também celebra o Dia da Amazônia.

 

Dia da Amazônia – O Dia da Amazônia é celebrado no dia 05 de setembro e busca conscientizar sobre a importância da preservação do bioma amazônico, a maior reserva natural do mundo, que impacta diretamente nas questões climáticas do planeta e na qualidade de vida das pessoas.

 

Buscamos ainda enfatizar que o Maranhão também é Amazônia. O território maranhense, em específico,  compreende grande parte do estado e que ações precisam ser desenvolvidas aqui para proteger não só o bioma como as comunidades indígenas, quilombolas e tradicionais que o habitam.

 

Neste ano, cerca de 400 eventos e ações acontecem por todo o Brasil chamando atenção para a data e podem ser consultados no site: https://festivaisdiadaamazonia.com.br/

 

Organizadores

Emaranhadas – Trata-se de uma rede em construção que, inicialmente, realizou mapeamento de experiências de resistências protagonizadas por mulheres na região metropolitana de São Luís, com o objetivo de evidenciar as potencialidades e o bem viver das mulheres da zona rural, da cultura e de comunidades tradicionais e, hoje, sistematiza as experiências em eventos e ações que conectam tais mulheres para fortalecer, visibilizar as agendas, os modos de vida, práticas de bem viver e ações de resistências pela terra e território, a fim também de criar uma agenda positiva a partir da perspectiva das mulheres. Todas as informações do projeto podem ser encontradas no site: emaranhadas.org.

 

Associação Tijupá – Organização não governamental fundada em janeiro de 1990 a partir da desvinculação da equipe do Projeto de Tecnologias Alternativas, abrigada na Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH).

O nome TIJUPÁ foi escolhido para homenagear os trabalhadores/as rurais, sendo uma palavra de origem Tupi usada para batizar uma cabana menor que a oca, que é feita de madeira e palha, construída nas proximidades do roçado para guardar alimentos, instrumentos de trabalho e servir de abrigo durante plantio, capinas e colheita.

 

Serviço

 

Feira Agroecológica e Solidária – edição Dia da Amazônia

Data: 02 de setembro de 2022

Horário: 8h às 14h

Local: Praça Deodoro

(Com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos