Encontro Nacional e Internacional de Mulheres na Roda de Samba 2021

São Luís do Maranhão fará parte dessa grande festa, tendo a capital como vitrine aos talentos locais femininos no Samba, no próximo dia 11 de dezembro.

 

Garra, força e representatividade! Vem aí a quarta edição do Encontro Nacional e Internacional de Mulheres na Roda de Samba que será realizado no próximo dia 11 de dezembro, sábado, em 27 cidades do Brasil e 10 no exterior – Paris, Roma, Lisboa, Tóquio, entre outras. A iniciativa é idealizada pela cantora Dorina Barros e tem a proposta de celebrar todas as genuínas rodas de samba femininas de todo o país e do mundo.

O Maranhão fará parte dessa grande festa, tendo a capital como vitrine aos talentos locais femininos no Samba. A Roda vai acontecer no Novo Butikin, situado no Centro Histórico, e terá um tempero especial, pois, o Encontro Nacional e Internacional de Mulheres na Roda de Samba vai homenagear a conterrânea, grande intérprete brasileira, Alcione Dias Nazareth, a diva “Marrom”, como é carinhosamente chamada, uma unanimidade como referência do samba feminino brasileiro.

O Encontro Nacional e Internacional de Mulheres na Roda de Samba chegou à quarta edição e, pelo terceiro ano consecutivo, São Luís do Maranhão estará representada entre as 37 cidades do Brasil e do exterior, com a coordenação de Rose Carrenho, fundadora do grupo As Brasileirinhas, o primeiro grupo de samba, exclusivamente, feminino, do Brasil. Helô Santana e Chris Santana também integram a coordenação.

Um precioso ‘line up’ compõe a programação, tendo, Anastácia Lia (cantora e compositora), Andréa Frazão (cantora e compositora), Alessandra Santos (cantora e compositora), Alessandra Loba (cantora e compositora), Rose Maranhão (cantora), Gisele Padilha (cantora e compositora), Luciana Pinheiro (cantora e compositora), Paulinha Trindade (percussionista e baterista), Lia lobato (instrumentista), Mary Bass (instrumentista), Eline Cunha (instrumentista), Noely Moura (percussionista), Jéssica Martins (percussionista), Loren Correa (instrumentista e compositora), Hianne Pimenta (percussionista), Adriana Soraya (instrumentista), Amora (instrumentista) como as estrelas desse espetáculo. Todas as artistas têm carreiras artísticas independentes e de grande projeção no cenário local. O repertório será todo marcado por músicas autorais e também clássicos do cancioneiro popular nacional e maranhense, composições de Patativa, Cristovão Alô Brasil, Zé Pivó, Josias Sobrinho, Cesar Teixeira e Chico Maranhão, e também os sucessos na voz de Alcione terão destaque. A direção musical é de Chris Santana.

Aos intervalos haverá participação da DJ Vanessa Serra, que, através do seu trabalho, contribui com a legitimação da equidade de gênero, através do seu protagonismo feminimo, na discotecagem e Cultura do Vinil no Estado.

 

A produção é de Dalila Sousa e Giselly Fernandes, e fotografia de Magali Melo.

A Roda de Samba executada por artistas mulheres será transmitida, como sempre, pelas redes sociais, simultaneamente, num grande encontro presencial e virtual, no Brasil e no exterior.

Este mesmo grupo realizou recentemente o projeto das “Mulheres na Roda de Samba –  São Luís” com incentivo da Lei Aldir Blanc, através do edital de fomento a projetos culturais da Secretaria de Cultura do Maranhão, 2021, fundamental para a movimentação da cadeia produtiva local nesse momento de retomada da crise econômica em virtude da pandemia do Covid-19.

A saber o samba começou como um gênero predominantemente masculino. Mas grande parte do sucesso desses sambistas coube às vozes de mulheres que revitalizaram o samba com muita suavidade e emoção. Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra e Dona Ivone Lara formaram a tríade do samba carioca, vozes legítimas da raiz africana no Brasil. Com Clara Nunes o samba arrebatou-se com a força da mulher e segue seu destino até hoje nas vozes de Beth Carvalho, Alcione, Leci Brandao, Mariene de Castro, Nilze Carvalho, entre outras.

“Nesse ambiente até então exclusivamente masculino, o papel de mulheres que se tornaram pioneiras no samba é mais que necessário ser celebrado, como missão!”, ressalta Rose Carrenho.

 

 

SERVIÇO:         

ENCONTRO NACIONAL E INTERNACIONAL DE MULHERES NA RODA DE SAMBA – ANO IV

SÁBADO, 11 DE DEZEMBRO, A PARTIR DE 16H.

NOVO BUTIKIN – RUA DA ESTRELA, CENTRO HISTÓRICO.

ABERTO AO PÚBLICO, TRANSMISSÃO SIMULTÂNEA PELO YOUTUBE.

R$ 20.

MAIS INFORMAÇÕES: 98 98845 8588.

@mulheresnarodadesambaslz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos