Em sua maior edição, a VERBO, mostra de performance arte da Galeria Vermelho, terá programação gratuita em São Luís, Fortaleza e São Paulo com artistas de vários países

 Serão ao todo mais de 30 projetos entre ações ao vivo e vídeos de nomes como o da mexicana Tania Candiani, do suíço Boris Nikitin, da filipina-dinamarquesa Lilibeth Cuenca Rasmussen e dos brasileiros André Vargas e Aline Motta, além do coletivo No Barraco da Constância Tem!; no Maranhão, onde o evento ocorre desde 2018, o festival ocupará o Chão SLZ, o Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM),  além de duas residências na Casa do Sereio, em Alcântara

 

Performance do coletivo No Barraco da Constância Tem! será apresentada nas três capitais

Crédito: Breno de Lacerda

 

São Paulo, julho de 2023 – A 17ª edição da VERBO, mostra anual de performance organizada pela Galeria Vermelho, será realizada entre julho e agosto em três capitais brasileiras: São Luís (MA), Fortaleza (CE) e São Paulo (SP), totalizando mais de 30 ações com a presença de artistas de cinco países. Comandado por Samantha Moreira, coordenadora do Chão SLZ, e Marcos Gallon, diretor artístico da Galeria Vermelho, responsáveis pela curadoria, o evento, totalmente gratuito, terá apresentações ao vivo e por vídeo. (veja a programação do Maranhão abaixo).

O festival, sem fins lucrativos, criado, produzido e gerido pela Vermelho, é um dos mais importantes e tradicionais da cena artística internacional. Realizado anualmente desde 2005, é o primeiro evento dedicado totalmente à performance na América Latina e tem se consolidado como um dos principais palcos para artistas de todo o mundo, descentralizando a arte ao ocupar espaços públicos e privados, além de promover discussões e oficinas abertas aos interessados. Além de democratizar o acesso às apresentações, a VERBO ainda disponibiliza o registro em vídeo das ações, oferecendo um amplo acervo totalmente gratuito no site oficial do evento (veja abaixo).

“Em 2023, buscamos escolher projetos inovadores e que dialoguem com os contextos locais de cada cidade. Como em edições anteriores, o recorte curatorial foi criado a partir das propostas recebidas por meio da chamada aberta e dos projetos apresentados pelos artistas convidados”, conta Gallon.

“Expandir formas de conexões e parcerias entre instituições de diferentes frentes e camadas da produção cultural, uma galeria, um espaço independente, um museu e um centro cultural, é um acontecimento que se faz necessário há muito tempo, sempre somando conhecimento, experiências, públicos, potências e abrindo possibilidades de políticas de fomentos das artes no Brasil”, diz Samantha Moreira.

 “A proposta da VERBO comunga com um dos principais objetivos do CCVM, que é expandir discussões e lançar novas perspectivas sobre temas urgentes da nossa sociedade por meio das diversas linguagens artísticas. A mostra, além de trazer para a cidade uma programação potente, provoca o público ludovicense a consumir a arte performática”, afirma o diretor do Centro Cultural Vale Maranhão, Gabriel Gutierrez.

Foram 300 propostas recebidas de várias regiões do Brasil e do mundo. A seleção de projetos recebidos por meio da chamada aberta ficou a cargo de Carolina Vieira, Marcos Gallon e Samantha Moreira.

Entre alguns destaques, estão os artistas brasileiros André Vargas (Rio de Janeiro), Charlene Bicalho (Nova Era), Aline Motta (Niterói), Julha Franz e Tuna Dwek (São Paulo). O coletivo No Barraco da Constância Tem!, de Fortaleza, estará presente nas três capitais. No Maranhão e no Ceará, abre o evento, e, em São Paulo, participa do encerramento.

Entre os nomes internacionais, estão Boris Nikitin (Suíça), a filipina-dinamarquesa Lilibeth Cuenca Rasmussen (Copenhague), e a mexicana Tania Candiani, entre outros.

 

A artista Aline Motta é uma das convidadas da Verbo 2023 / Crédito: Motaz Mawid

 

Capitais

A VERBO ganha novamente espaço em São Luís (MA) de 19 a 21 de julho e em Fortaleza (CE) de 27 a 30 de julho. O encerramento acontecerá em São Paulo entre os dias 9 e 11 de agosto. Esta é a maior edição do evento. Em São Luís, a VERBO ocorre desde 2018 no Chão SLZ.

Cada capital receberá um programa distinto de performances que dialogam com as especificidades locais, com exceção do eixo de ações criadas para câmeras de vídeo cujo programa será apresentado integralmente nas três cidades.

A VERBO 2023 inclui ainda em sua programação a 5ª edição do ciclo de conversas VERBO Conjugado no Centro Cultural Vale Maranhão – CCVM em São Luís, duas residências na Casa do Sereio (Alcântara, MA), a oficina Performance-escrita, na Pinacoteca do Ceará em  Fortaleza, além de uma seleção de registros em vídeo de ações apresentadas nas 16 edições da mostra que integram o acervo da VERBO, e que ocorrerá na empena e vídeo wall do Museu da Imagem e do Som – MIS, também em Fortaleza.

“A performance desafia o colecionismo e o sistema da arte na busca pela catalogação do efêmero. Nós documentamos na íntegra tudo que acontece na Verbo, dedicamos programas específicos para o debate e para a produção de textos, além de produzirmos publicações desde a primeira edição da mostra. A Verbo deu palco para quem, até então, não tinha esse espaço”, avalia Gabriel Zimbardi, da Galeria Vermelho.
“Lá atrás, quando começamos, a nossa ideia era apresentar o trabalho de artistas jovens que na época não tinham espaço para esse tipo de arte. No entanto, com o tempo, isso foi tomando proporções maiores e hoje podemos dizer que a Verbo é o primeiro grande festival de performance da América Latina, o mais longevo e um dos mais conhecidos. O fato de contarmos, hoje, com cinco sedes de diferentes pilares institucionais aponta para esse reconhecimento”, explica Marcos.

 

Boris Nikitin durante a performance ‘Ensaio sobre o morrer’. Crédito: Donata Ettlin

 A 17ª edição da Verbo conta com o apoio da Galeria Vermelho, Pro Helvetia, Pinacoteca do Ceará, Agência Lema, Chão SLZ, Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM) e Art Contábil.

Sobre a VERBO

A mostra anual de performance VERBO é um festival dedicado à apresentação de ações na área da performance de artistas brasileiros e estrangeiros. A mostra foi criada pela Galeria Vermelho em 2005 com o objetivo de criar uma rede de artistas e público ligados à arte da performance. Mais informações em https://galeriavermelho.com.br/verbo/

Serviço

Verbo – 17a edição

Gratuito

De 19 a 21 de julho em São Luís no Chão SLZ e no Centro Cultural Vale Maranhão

De 27 a 30 de julho em Fortaleza na Pinacoteca do Ceará e no MIS –

De 09 a 11 de agosto em São Paulo na Galeria Vermelho

Para mais informações e para acompanhar o acervo audiovisual das apresentações, acesse o site https://galeriavermelho.com.br/verbo/

 

Programa São Luís (MA)

Data: 19 a 21 de julho de 2023
Locais: Chão SLZ e CCVM (São Luís, MA)
End.: Chão SLZ – Rua do Giz, 167 – São Luís – MA, 65010-160. CCVM – R. Direita, 149 – Centro, São Luís – MA, 65010-160.

Performances de: Aline Motta (Niterói), Carchíris Barcelos (Paço Lumiar), Dinho Araújo (São Luís), Elilson (Recife), Lilibeth Cuenca Rasmussen (Copenhague), No Barraco da Constância tem! (Fortaleza), e Yhuri Cruz (Rio de Janeiro). Chão SLZ

Programa de filmes e vídeos
: Andrea Hygino e Artur Souza (Rio de Janeiro, Belo Horizonte), Carolina Cony (Rio de Janeiro), Daniel Faguz (São Paulo), DJ Agojy de Exu e Profana ao Mel (São Luís), Eduardo Hargreaves (Tiradentes), Felipe Teixeira e Mariana Molinos (São Paulo), Galia Eibenschutz (Cidade do México), Romão (São Félix), Renan Marcondes (São Paulo), Ruy Cézar Campos (Fortaleza), Ting-tong Chang (Taipei), e Sy Gomes (Eusébio). CCVM

Verbo Conjugado
21 de junho, 17h
Roda de conversa com artistas e curadoria da Verbo 2023 sobre processos de criação no campo da performance. CCVM

Quarta, 19/7
CCVM – 10h às 19h – Mostra de Vídeos
CCVM e Chão SLZ -19h30 – No Barraco da Constância tem!  A ação terá início em frente ao CCVM e percorrerá o trajeto até o Chão SLZ.
Chão SLZ – 20h30 – Aline Motta

Quinta, 20/7
CCVM – 10h às 19h- Mostra de Vídeos
Chão SLZ – a partir das 19h30 – Carchiris, Dinho Araújo e Yhuri Cruz.

Sexta, 21/7
CCVM – 10h às 19h – Mostra de Vídeos
CCVM – 17h – Verbo Conjugado. Roda de conversa com os artistas e curadores da Verbo.
Chão SLZ – a partir das 19h30 – Lilibeth Cuenca Rasmussen, Elilson

 

 

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos