Capital maranhense recebe o projeto Música nas Cidades Históricas

Turíbio Santos é o grande homenageado deste projeto de circulação nacional que ocupa diversos espaços da Ilha nos próximos dias 20 a 23 de abril em programação gratuita.

São Luís do Maranhão é contemplada com o circuito “Música nas Cidades Históricas – MUCIH” e vai receber nomes consagrados da cena instrumental brasileira que revitalizam esse imenso patrimônio imaterial brasileiro, resgatando a fonte da sonoridade colonial, imperial até chegar ao presente contemporâneo.  O projeto acontece com o patrocínio do Instituto Cultural Vale, por meio da lei federal de incentivo à cultura.

“Música nas Cidades Históricas – MUCIH” vai acontecer nos próximos dias 20 a 23 de abril, em diversos espaços da capital que comungam da estética que se propõe o projeto, ofertando ao público uma viagem lúdica e mágica pelo tempo. A programação é totalmente gratuita e contará, entre as atrações, com o músico maranhense, aclamado por todo o mundo, Turíbio Santos.

A capital maranhense vai respirar os ares de toda a potência dessa riquíssima musicalidade e acervo cultural em diálogo com a arte e história arquitetônica; são dez atrações em quatro dias de festival ocupando o Teatro Arthur Azevedo, Museu Histórico e Artístico de São Luís, Teatro João do Vale,  Convento das Mercês, Casa do Tambor de Crioula e a Catedral da Sé.

Além do violonista Turíbio Santos, que será o grande homenageado desta edição, integram o festival: o violonista Celso Faria, a pianista Maria Teresa Madeira, o grupo A Chantar (Trovadoras Medievais), o Duo Penezzi e Proveta. E mais as atrações locais: o violonista João Pedro  Borges, o violonista Alessandro Freitas, a Orquestra Maranhense de Violões, o grupo Instrumental Pixinguinha, o pianista Daniel Lemos, e o grupo Pungar da Ilha, da expressão popular genuinamente maranhense, Tambor de Crioula, o décimo primeiro bem cultural de natureza imaterial inscrito em um dos quatro Livros de Registro do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial, em 2007.

O MUCIH é idealizado pelo produtor Leonardo Conde, da Duo Produções, e tem o patrocínio do Instituto Cultural Vale e realização do Ministério da Cultura, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O projeto já passou pelas cidades históricas de Ouro Preto (MG), Mariana (MG), Petrópolis (RJ), Tiradentes (MG),Paraty (RJ) e agora chega a São Luís (MA).

Para mais informações, é só acessar o site: www.mucih.com.br, e ficar por dentro de toda a programação.

PROGRAMAÇÃO GERAL

20/04 – QUINTA-FEIRA

19h – Turíbio Santos – part. Maria Teresa Madeira e João Pedro  Borges

Teatro Arthur Azevedo

 21/04 – SEXTA-FEIRA

16h – Daniel Lemos

Museu Histórico e Artístico

 17h – Grupo A Chantar (Trovadoras Medievais)

Catedral da Sé – Largo da Praça Pedro II

 19h – Grupo Instrumental Pixinguinha

Teatro João do Vale – Praia Grande.

22/04 – SÁBADO

11h – Alessandro Freitas

Convento das Mercês – De.sterro

16h – João Pedro Borges

Convento das Mercês – Desterro.

17h – Orquestra Maranhense de Violões

 Museu Histórico e Artístico de São Luís – Rua do Sol, Centro.

 19h – Duo Penezzi e Proveta

Teatro João do Vale – Praia Grande.

23/04 DOMINGO

11h – Grupo Tambor de Crioula Pungar da Ilha

Casa do Tambor de Crioula – Praia Grande

17h – Celso Faria

Museu Histórico e Artístico – Rua do Sol, Centro.

SERVIÇO

“MÚSICA NAS CIDADES HISTÓRICAS – MUCIH”

DIAS 20 A 23 DE ABRIL DE 2023.

10 ATRAÇÕES EM DIVERSOS ESPAÇOS DA CAPITAL.

PROGRAMAÇÃO ABERTA AO PÚBLICO.

REALIZAÇÃO: DUO PRODUÇÕES.

PATROCÍNIO DO INSTITUTO CULTURAL VALE, ATRAVÉS DA LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA.

INFORMAÇÕES: WWW.MUCIH.COM.BR.

PARA SABER MAIS:

Turíbio Santos 

Violonista renomado internacionalmente, com trabalho reconhecido desde 1965, é uma das principais referências do repertório violonístico em geral e da obra de Heitor Villa-Lobos (1887-1959) em particular. Em 1986 assumiu a direção do Museu Villa-Lobos, permanecendo no cargo até 2010. À frente da instituição liderou as comemorações pelo centenário do compositor em 1987, conseguiu a sede definitiva e digitalizou todo o acervo. Em 1987 fundou a Associação de Amigos do Museu Villa-Lobos/AAMVL. Turíbio Santos foi condecorado como Chevalier de la Légion D’Honneur pelo Governo Francês, em 1985, e pelo Governo Brasileiro como Oficial da Ordem do Cruzeiro do Sul, em 1989. Foi presidente da Academia Brasileira de Música entre 2010 e 2013.

Maria Teresa Madeira 

Desde o início, a intensa e multifacetada carreira musical de Maria Teresa Madeira encontra-se marcada por experiências importantes, seja no campo artístico, seja no campo acadêmico. Entre sua formação como bacharel em piano pela Escola de Música da UFRJ e seu título de Mestre em Música pela Universidade de Iowa, nos EUA. Como solista esteve à frente de orquestras, entre elas, a Sinfônica Brasileira e a Petrobras Sinfônica. Já participou de 14 das Bienais de Música Brasileira Contemporânea. Entre outros destaques, em 2016, a pianista lançou a ‘Integral de Ernesto Nazareth por Maria Teresa Madeira’, uma caixa com 12 CDs com as 215 músicas compostas por Nazareth.

Daniel Lemos

É pianista atuante desde 1994, com mais de cem apresentações solo ou coletivas realizadas em 14 estados brasileiros. É técnico em piano pela Academia de Música Lorenzo Fernandez/RJ, bacharel em piano e mestre em performance musical pela UFMG, e doutor em práticas interpretativas pela UNIRIO. Residente em São Luís do Maranhão, atua como docente no Departamento de Música da UFMA e professor colaborador no curso de Música Licenciatura a distância da UEMA.

Grupo A Chantar (Trovadoras Medievais)

Grupo de música antiga da Universidade Federal Fluminense que pesquisa novas formas de levar ao conhecimento do público a música que tanto encantou a Europa ocidental durante quase seis séculos. São mais de 30 anos recriando a sonoridade da Idade Média e do Renascimento, sempre buscando entreter o espectador com o encanto e a magia presentes no repertório.

Grupo Instrumental Pixinguinha  

O Instrumental Pixinguinha é um dos tradicionais grupos representativos da Escola de Música do Estado do Maranhão, que vem atuando há mais de 25 anos em São Luís, nos diversos espaços artísticos da capital maranhense. O grupo é também um dos principais fundadores do Clube do Choro do Maranhão, movimento de artistas locais que reacendeu o movimento chorístico em São Luís.

Alessandro Freitas

Exímio instrumentista maranhense. Licenciado em Música, Mestre em Artes. É professor de Violão da Escola Municipal de Música Maestro Nonato de São José de Ribamar (MA), professor substituto de violão da Universidade Estadual do Maranhão.

João Pedro Borges

Violonista por excelência. O maranhense João Pedro Borges participou de capítulos fundamentais da música no país, a exemplo do fenômeno conhecido como Camerata Carioca.

Orquestra Maranhense de Violões

Formada em 2007, por professores e alunos da Escola de Música “Lilah Lisboa do Maranhão” para fomentar o desenvolvimento do repertório musical para orquestra adaptada ao violão contemplando tanto a vertente popular quanto erudita. Tem regência de Domingos Nélio Soares e Antônio de Jesus Silva.

Duo Penezzi e Proveta

Eles são um dos maiores instrumentistas do Brasil, Alessandro Penezzi e Nailor Proveta. Alessandro Penezzi é compositor, arranjador, professor e exímio violonista. Passeia entre o popular e o erudito com maestria, além de tocar outros instrumentos como bandolim e flauta. Nailor Proveta é clarinetista e saxofonista, com mais de 30 anos de carreira. Proveta e Penezzi tem um repertório basicamente autoral, de melodias e harmonias surpreendentes. Eles tocam com tal virtuose que as ideias musicais parecem transbordar, como registram no disco ‘Velha amizade’ que celebra o encontro entre eles. Em 2021, o Duo esteve no Maranhão, na ocasião do Lençóis Jazz & Blues Festival, no circuito de Atins e São Luís.

Grupo Tambor de Crioula Pungar da Ilha

Grupo de Tambor de Crioula batizado no dia 12 de dezembro de 2002 na Casa das Minas, uma das casas brasileiras mais importantes de culto afro-religioso, fundada por escravos originários do Benim, localizada na Rua de São Pantaleão.

Celso Faria

É recitalista de violão solo, com especialização em Música Brasileira – Práticas Interpretativas – pela Universidade do Estado de Minas Gerais e Mestre em Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais. O número de obras a ele dedicadas, encomendadas, transcritas ou arranjadas já supera 170 títulos. É o idealizador, produtor e apresentador do ciclo de entrevistas “O Charme do Violão Mineiro”, que é transmitido pelo seu canal do YouTube.

(Da redação com informações da Assessoria)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista.
Bacharel em Comunicação Social- Jornalismo com pós-graduação em Jornalismo Cultural na UFMA.

Criadora de conteúdo, roteirista, DJ, colecionadora de discos, produtora artística e fonográfica. Ludovicense, filha de rosarienses. Morou na Cohab, Fé em Deus, Liberdade em São Luís, passou três anos em Codó, e voltou para a capital residindo na Rua Basson (Apeadouro – Bairro de Fátima) e Cohatrac IV. Foi aluna do Colégio Batista.

Gosta de cozinhar. Sempre foi (e pretende continuar sendo) apreciadora da culinária a base de frutos do mar, dos modos e costumes nordestinos; brincante da Cultura Popular e uma assídua frequentadora das mais diversas regiões da Ilha de São Luís e do Maranhão. É autora dos projetos de difusão musical “Vinil & Poesia” e “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos