As cores e músicas de Betto Pereira na mostra Cazumbá Mundi

Os artistas Zeca Baleiro, Zé Olhinho (Boi de Sta. Fé), o anfitrião Betto Pereira e César Nascimento com o Secretário Estadual de Cultura do Maranhão Anderson Lindoso na abertura de Cazumbá Mundi.

De parabéns o artista plástico, cantor e compositor Betto Pereira pelo seu mais novo e vibrante projeto: a exposição Cazumbá Mundi, que celebra seus 40 anos de carreira.

A abertura da mostra aconteceu em noite de lua cheia no Convento das Marcês, em evento para convidados que teve ainda pocket show musical; para apresentar em primeira mão as 15 telas que mesclam cabeças de Cazumbá – tendo com inspiração maior o Boi de Santa Fé- em corpos de artistas famosos da música nacional e internacional. A exposição é imersiva, e convida o público a descobrir cada artista retratado através de sua música, apontando a câmera do celular para um QR Code.

Os produtores da mostra Emanuel Jesus e Ellen Soares; o curador Carlos Dimuro (RJ), o grade artista plástico e músico Betto Pereira com sua produtora e esposa Rose Carvalho.

Quem veio do Rio de Janeiro prestigiar a abertura foi o renomado jornalista e pesquisador Carlos Dimuro, curador dessa mostra e que quer levar a mesma para as galerias do mundo, começando por NY nos Estados Unidos.

Com patrocínio da Potiguar e Governo do Maranhão, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a mostra Cazumbá Mundi pode ser vista na Casa do Maranhão na Praia Grande, até o próximo dia 28.11 (domingo).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos