Artistas da Amazônia Legal estão aptos para participar do Festival Se Rasgum – As inscrições estão abertas até 02 de setembro

O Festival Se Rasgum, referência no circuito nacional, por revelar artistas da música paraense, agora ampliou suas ações para artistas, residentes, em toda a Amazônia Legal, ou seja, nove estados brasileiros estão aptos a participar, entre eles, o Maranhão. Nesta décima edição do festival participam na etapa de seletivas: Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins.

Para participar, os interessados devem residir em um dos estados da região da Amazônia Legal, que tenham produzido e lançado pelo menos 4 singles, comprovar mínimo de 2 anos de existência do trabalho artístico inscrito e preencher o formulário de inscrições com informações da banda como o release atualizado, anexar 2 fotos, links das músicas lançadas e link de vídeo de performance ao vivo, entre outros dados complementares.

As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 02 de setembro de 2021. E podem ser feitas através do link: https://serasgum.com.br/seletivas/inscricao. Para escolher os 10 finalistas, o Festival convidou nove curadores, um de cada estado da região, buscando mapear as novidades com um olhar voltado à diversidade musical e à equidade de gênero, étnica e racial. A coordenação do Festival BR 135, do Maranhão, integra essa curadoria. “Essa é uma grande oportunidade de impulsionamento de carreira, com a avaliação e orientação de reconhecidos profissionais do mercado musical e produção de singles inéditos”, avalia Luciana Simões, cantora, compositora, produtora, DJ e coordenadora do Festival BR 135.

Os selecionados passarão por mentorias para impulsionamento de carreira, com a avaliação e orientação de oito profissionais do mercado musical, incluindo o músico, produtor musical e articulador do setor cultural Iuri Freiberger, que fará a coordenação do projeto ao lado da Se Rasgum Produções. O gaúcho trabalha há mais de 20 anos no setor cultural e no mercado musical e tem experiência de sobra na área: produziu mais de 150 álbuns em todo país, realizou mais de 2000 apresentações ao vivo, fez direção técnica e curadoria para festivais. Foi cofundador e diretor estratégico da Rizoma Aceleradora de Projetos Culturais, empresa responsável pela gestão dos projetos e aceleração do programa Natura Musical. É fundador e atual diretor da Gramo Design Estratégico, empresa de inteligência de mercados criativos.

Todo esse processo on-line vai incluir workshops e encontros pelos quais os escolhidos passarão para discutir temas relevantes da produção musical como circulação, formação de público, propriedade intelectual, royalties, distribuição, comunicação, marketing digital e apresentação em pitchings.

Os músicos terão até o fim de outubro para produzir um single, sob orientação e produção de Iuri Freiberger, que integrará uma playlist com os 10 finalistas e que o Se Rasgum disponibilizará em seu canal no Deezer e em suas redes sociais.

Os selecionados também passarão por pitchings com 15 compradores do mercado musical nacional e internacional em evento que será realizado via Zoom. No final, cada player selecionará três nomes e a trinca mais bem votada fará parte do line-up da próxima edição do Se Rasgum.

As Seletivas Se Rasgum têm patrocínio master da Oi e apoio cultural do Oi Futuro através da lei Semear de incentivo à cultura via Governo do Estado do Pará e Fundação Cultural do Pará, além do player Oficial Deezer.

Serviço:

Seletivas Se Rasgum – Amazônia Legal

De 12 de agosto a 02 de setembro/2021

Inscrições gratuitas

Mais informações: https://serasgum.com.br.

 

#seletivasserasgum #serasgum #festivalindependente #musicaindependente #amazonialegal #musicadaamazonia #musicadonorte #oi #oifuturo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista.
Bacharel em Comunicação Social- Jornalismo com pós-graduação em Jornalismo Cultural na UFMA.

Criadora de conteúdo, roteirista, DJ, colecionadora de discos, produtora artística e fonográfica. Ludovicense, filha de rosarienses. Morou na Cohab, Fé em Deus, Liberdade em São Luís, passou três anos em Codó, e voltou para a capital residindo na Rua Basson (Apeadouro – Bairro de Fátima) e Cohatrac IV. Foi aluna do Colégio Batista.

Gosta de cozinhar. Sempre foi (e pretende continuar sendo) apreciadora da culinária a base de frutos do mar, dos modos e costumes nordestinos; brincante da Cultura Popular e uma assídua frequentadora das mais diversas regiões da Ilha de São Luís e do Maranhão. É autora dos projetos de difusão musical “Vinil & Poesia” e “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos